Domingo, 15 de Dezembro de 2019
DE OLHO

Ufam faz parceria e interliga 165 câmeras de monitoramento interno ao Ciops

Parceria com Ciops busca amenizar clima de insegurança que inquieta acadêmicos e servidores da instituição



C_MERAS_C69C6E51-0AE0-4DCE-9B0D-C78697FD4126.JPG Além do monitoramento interno, imagens também são transmitidas para o Ciops. Foto: Euzivaldo Queiroz
01/11/2018 às 02:10

Após sucessivos apelos de parte da comunidade acadêmica por conta de roubos na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), a diretoria da instituição iniciou há um mês uma parceria que até agora não havia sido tornada pública: um processo de cooperação técnica com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) para que seu sistema de 165 câmeras fosse integrado ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), tornando possível o monitoramento de parte da área total de 5.997.190,46 metros quadrados do Campus Universitário e de unidades dispersas, como o Centro de Artes, Biblioteca Central, museu e a Faculdade de Odontologia.

O sistema da central de segurança da Ufam opera hoje com 150 câmeras, outras 15 estão passando por ajustes ou estão queimadas – uma delas localizada na entrada do campus, próxima à parada de ônibus que dá acesso à instituição e que é alvo frequente de criminosos.



“Estamos estudando, também, a possibilidade de um local permanente para esses policiais aqui na Ufam para o próximo semestre e licitar vigilância por drones. A parceria é esse contato mais próximo da Polícia Militar com a universidade que antes não havia”, informou a prefeitura do Campus da Ufam, Carmem Silvia Viana Guimarães.

“Hoje as câmeras estão posicionadas em pontos estratégicos da Ufam, alcançando basicamente todos os setores Norte e Sul e atendendo a áreas prioritárias. São câmeras de qualidade profissional e com definição muito boa. Vamos, também, tentar fazer o funcionamento da rádio-frequência direto com o Ciops”, destacou o diretor de tecnologia da Ufam, Jorge Carlos Magno.

Se comparada a outras instituições de ensino superior, a ação da Ufam é aquém do desejado: universidades como a de Santa Catarina (UFSC), por exemplo, tem cerca de 1.250 câmeras de monitoramento.

Hoje, a Ufam conta com 160 vigilantes contratados em regime de guarda patrimonial terceirizada. A restrição orçamentária é apontada como um entrave pela prefeitura do Campus. “Nosso orçamento para a segurança é de R$ 780 mil mensais e não temos mais como ampliar o contrato devido restrição nesse orçamento”, completou a prefeita.

Ocorrências

Há pouco mais de uma semana, no dia 24, um grupo de observadores do Clube de Astronomia da universidade (Caufam) passou por momentos de pânico durante uma tentativa de assalto a mão armada no Campus.

Na última segunda-feira, um casal de assaltantes foi detido por vigilantes terceirizados da instituição e, com eles, foram apreendidos um revólver e um punhal. Além dos assaltos, são frequentes os relatos de furtos dentro da universidade.

Segundo dados da assessoria de comunicação da Ufam, foram registradas três ocorrências policiais no mês de outubro dentro da universidade: uma detenção de infratores e dois roubos na paradas de ônibus de fora da Ufam. Mas o clima de insegurança denota que os casos não registrados podem ultrapassar, e muito, esses números oficiais.

Números

5.997.180,46 – É o total de metros quadrados da área do Campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), segundo a instituição.

165 – É o número de câmeras do sistema de segurança interno da Ufam, agora interligado ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).

174 – É a quantidade total de prédios construídos na área do Campus da Universidade Federal do Amazonas.

3.458 – É o número de ambientes nos 174 prédios da secular instituição federal de ensino superior do Estado.

Campanha contra assédio

Os assédios moral e sexual foram temas de debate durante o Seminário “Desafios para o Sindicalismo na Conjuntura Atual”, na manhã de ontem, na Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (Adua), organizadora do evento.

O assunto foi tema da palestra “Assédio na Universidade: O que significa e como pode ser enfrentado”, ministrada pela 1ª secretária do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), Caroline Lima.

O encontro foi encerrado com o lançamento da campanha “Não é Não – Adua contra toda forma de assédio”. O seminário seguiu no período da tarde com a palestra “Organização Sindical e o Ataque às Universidades Públicas”, ministrada pela 1ª vice-presidente do ANDES-SN, Qelli Viviane Dias Rocha, docente sindicalizada da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Mato Grosso (Adufmat).

Recomendação

Ontem, o Ministério Público Federal (MPF) no Estado recomendou à Ufam medidas de combate a assédio moral e agressões contra professores. MPF recomenda que a universidade que se abstenha de promover qualquer atuação ou sanção arbitrária em relação a professores que interfiram na liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber, e no pluralismo de ideias e de concepções ideológicas. O órgão requereu a adoção de medidas cabíveis e necessárias para que não haja nenhuma forma de assédio moral ou físico perante os profissionais que atuam na instituição, por parte de servidores, professores, estudantes, familiares ou responsáveis.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.