Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
ELEIÇÃO

Vereadores de Manaus adiam troca de partido por causa da Covid-19

Desde o último dia 5 de março o período conhecido como janela partidária está aberta para vereadores interessados em disputar a reeleição ou a prefeitura



49672618308_be5cc07ee9_k_B3958EAA-94C6-4C21-B7AD-D3D59167118F.jpg Foto: Divulgação
23/03/2020 às 15:22

A janela partidária, período em que vereadores com mandato eletivo podem fazer a mudança de sigla sem prejuízos, que desde o último dia 5 de março está aberta para vereadores interessados em disputar a reeleição ou a prefeitura de sua cidade vence no dia 4 de abril. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por unanimidade manter o praz.

A medida foi definida pela corte no último dia 19 deste mês, após questionamento enviado à presidente, ministra Rosa Weber. No entanto, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) que até esta segunda-feira (23) registrou 1.629 casos no Brasil, está obrigando vereadores de Manaus, ainda sem partido, a tomar a decisão de se filiar a um novo partido em cima da hora.



Com isso, vereadores estão postergando a decisão final acerca da filiação partidária. O vereador Alonso Oliveira que já abandonou o Podemos, partido que incorporou o antigo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), disse que mantém conversas com David Almeida, pré-candidato a Prefeitura de Manaus sobre filiação ao Avante. Mas que diante do atual cenário da epidemia a oficialização de sua filiação ao partido foi adiada.

“Teríamos uma conversa pessoalmente com o David, mais a direção do próprio partido, executiva estadual e municipal, e os próprios candidatos que já estão lá dentro. E aí, nós fomos obrigados a suspender essa conversa. Diante de tudo que está acontecendo mundo afora”, comentou o vereador que ainda não avisou a presidência da CMM sobre a saída do partido, por causa da suspensão dos trabalhos na Casa pelo coronavírus.

Alonso pondera que é mais provável migrar para um partido que orbite o pré-candidato David Almeida e presidente do diretório estadual do Avante, mas reconhece a viabilidade da sigla liderada por David Almeida.

“Estarei caminhando com David Almeida, no grupo político dele. Não sei ainda qual dos partidos que estão próximos dele, devo integrar. O Avante tem sinais positivos, mas o certo é que estarei caminhando ao lado do pré-candidato a prefeitura de Manaus, David Almeida”, declarou.

O vereador Everton Assis informou já estar sem partido e disse que ainda não avisou a presidência da CMM a respeito da saída do Democratas (DEM) porque, de acordo com ele , “vivemos um momento de pura conturbação, então não tive tempo de fazer isso”. Everton evitou falar sobre qual partido deve se filiar, reforçou que por enquanto suspendeu qualquer trativa de natureza política.

“Não tem nada em andamento. Tô atualmente recolhido por conta de tudo que tá acontecendo, não é fácil. Não tô priorizando essa parte partidária”, afirmou o vereador que deve se filiar ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) do prefeito Arthur Virgílio Neto.

A Sessão Plenária desta segunda-feira (23) foi suspensa, a Câmara Municipal de Manaus (CMM) ainda estuda formas de continuar com as sessões de maneira remota.

O secretário geral, vereador Wallace Oliveira também do Podemos confirmou ao A CRÍTICA a sua desfiliação do partido. Questionado sobre qual partido pretende se filiar nos próximos dias, o vereador desconversou: “Em política, é possível considerar vários cenários.Teremos ainda 10 ou 12 dias para tomar a decisão necessária”.

Ele adiantou a reportagem que considera um partido que integre a base de apoio do prefeito Arthur Neto. Segundo, Wallace, o Podemos o convidou a sair, perguntado se a saída foi por não ter mais espaço internamente, o secretário geral responde que “não me foi explicitado isso”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.