Domingo, 18 de Abril de 2021
Rainha do Peladão

Sandy Brasil é eleita rainha e vencedora do A Bordo - O Reality

A estudante de psicologia de 25 anos, Sandy Brasil, conquistou o 1º lugar do A Bordo - O Reality 2020. Natural do município de Urucará, Sandy é também influenciadora digital



rainha_6CC6FBE5-3351-4187-9F7F-D678CE38301F.JPG Foto: Maria Luiza Dacio
23/12/2020 às 22:40

Com 56,41% dos votos, referente a 136 mil votos, a amazonense Sandy Brasil conquistou a coroa de Rainha do A Bordo - O Reality 2020. O anúncio foi feito durante a transmissão da final do programa na noite desta quarta-feira (23).

Estudante de psicologia de 25 anos, Sandy é natural do município de Urucará (distante a 260 quilômetros de Manaus) e atua como influenciadora digital em parcerias com empresas de estética e beleza.



"Eu queria aproveitar para agradecer. Sempre sou grata. Agradeço sempre todos que me ajudam. Se eu estou aqui é porque o público me escolheu. A mensagem que eu queria passar é que somos todas rainhas. Todas ganharam. Eu já sou uma rainha, não preciso de uma coroa", declarou Sandy.

Mãe de um menino de 7 anos, Sandy possui o sonho de ajudar a sua família financeiramente no que for preciso. A distância da família provocou diversas emoções na competidora. Sandy relembra da briga que teve com Érika Macêdo, situação que, segundo ela, causou um certo desconforto.

"Tive momentos de tristeza, alegria, de tristeza de novo, loucura, sensibilidade e fraqueza. A briga mais marcante pra mim foi o desentendimento que eu tive com a Lola [apelido de Érika Macêdo] na mesa. Eu bebi um pouquinho e acabei colocando para fora uma situação que desagradou. Ela se expressou de uma maneira que me incomodou. Porque naquela hora eu queria um acolhimento de amiga e não um sermão, do mesmo jeito que fiz com ela quando ela chegou. Eu estava bêbada, mas não desorientada. Eu sabia que eu estava fazendo", confessou Sandy.

Paraense em segundo

Sandy dividiu a disputa pela preferência do público com a paraense Érika Macêdo, que recebeu 23,20% dos votos; e Ana Paula com 20,38%, representando 49 mil votos.

Natural de Belém (PA), a modelo e promotora de eventos Érika Macêdo atua no ramo de beleza e marketing promocional há mais de 15 anos, como promotora, supervisora e coordenadora de ações promocionais de eventos. Além disso, a participante que "caiu de paraquedas" no reality, possui um espaço de bronzeamento, onde tem parcerias com diversas clínicas de estética, restaurantes, casa de shows, salões de beleza, lojas de roupas, e etc.

O amor pela passarelas começou cedo. Aos 16 anos, Érika passou em uma seletiva com outras 90 participantes, onde duas foram selecionadas para participar do "Belém Fashion Week" e de desde aí, não parou mais. Érika tem no currículo vários concursos e títulos como "Beleza Pará", "Rainha das Rainhas", entre outros. A paraense afirma que chegar até a final já é uma conquista pessoal.

"Chegar até aqui já uma conquista. Pude perceber que as pessoas abriram o seu coração para dar oportunidade de me conhecerem. Tentei demonstrar muito isso. Eu senti que o coração de muitas meninas se abriram também. Então fico feliz por ter conquistado o coração dos amazonenses", contou Érika Macêdo.

Terceira colocada

Somando 20,38% dos votos, representando 49 mil votos, a amazonense Ana Paula conquistou o terceiro lugar no programa A bordo - O reality 2020. A modelo recebeu o título de 2ª Princesa do Peladão e o prêmio R$ 2 mil.

Durante o reality, Ana Paula ficou conhecida como a participante calma e que procurava não se meter em brigas com outras concorrentes. Porém, a modelo conta que quase chegou ao seu limite.

"Foi horrível. Eu falava para as meninas pararem de brigar. Quando eu tinha que me posicionar, eu me posicionava. Mas quando via que saia dos limites eu tentava apartar. Teve um tempo que eu não estava aguentando a pressão. Ver as meninas estressadas me machucava muito. Só quem estava lá dentro sabe", comentou Ana Paula.

A modelo amazonense, assim como outras participantes, tem o sonho de ser reconhecida pela sua beleza e simpatia. Neste ano, Ana Paula passou por dificuldades de saúde, porém conseguiu se recuperar e conseguiu ser selecionada para participar do reality, chegando até a final.

Edição atípica

Com quarenta dias de confinamento, a temporada deste ano foi atípica. Por conta da pandemia do coronavírus, segundo a apresentadora Nath Nascimento, o programa teve que passar por algumas alterações com o intuito de obedecer os protocolos de segurança.

"Excepcionalmente este ano, por conta da pandemia, o programa não trouxe uma jurada de fora para decidir quem seriam as participantes finais como registrado pelo formato do reality. A decisão dessa vez ficou na mão do público e tudo para evitar o contato das participantes com alguém de fora", contou a apresentadora.

História

O programa surgiu em 2012, com o nome "Peladão A Bordo", cuja a missão era escolher a mais bela jovem que iria representar o maior campeonato de peladas do mundo, o "Peladão".

No ano passado, em sua 8ª edição, o programa estreou com um novo nome: o "A Bordo - O Reality". No jogo, candidatas ficam confinadas em um iate super luxuoso nas margens do Rio Negro, sem contato nenhum com o mundo exterior. O programa é exibido sempre no final do ano, entre os meses de novembro e dezembro, pela TV A Crítica.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.