Publicidade
Sim & Não

Ninguém aguenta mais pagar a conta

08/11/2018 às 07:22 - Atualizado em 08/11/2018 às 09:43
Show stf agora a3d7eee0 fd33 4c3b b4df b73b765bd4ca

Não podia ser pior a repercussão do aumento salarial dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), aprovado ontem pelo Senado por 41 votos a favor e 16 contra. Dos três senadores do Amazonas, só Vanessa Grazziotin (PCdoB) votou contra. Eduardo Braga (MDB) foi favorável ao aumento e Omar Aziz (PSD) faltou à sessão. O reajuste vai  abrir um rombo nas contas públicas de R$ 6 bilhões diante do efeito  cascata que beneficiará os próprios parlamentares, além de juízes e procuradores no Brasil inteiro.

Irresponsabilidade Com a ajuda do Senado, o salário dos ministros do STF vai saltar de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Assim que a proposta foi aprovada, críticas explodiram nas redes sociais.

Reação   Por iniciativa do Partido Novo, um abaixo-assinado virtual passou a colher assinaturas contra a aprovação do reajuste. Em apenas 50 minutos, oito mil apoiadores já haviam assinado o documento. A manifestação será levada ao presidente Michel Temer, na esperança de que ele vete a proposta.

Deboche   Se tivessem ouvido a voz do povo, os senadores jamais teriam autorizado o novo rombo nas contas públicas. Uma consulta pública sobre o aumento salarial dos ministros do STF teve 18.272 votos. Destes, 15.306 foram contra a proposta. 

Estratégia   Todos os passos que o governador Amazonino Mendes (PDT) seguirá, a partir de agora, tem como fim chegar à aposentadoria sem dor de cabeça no futuro. A ideia é afagar o Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM) e não entrar mais em bola dividida com o Legislativo Estadual. 

Esfinge  Além disso, a equipe do governador não  reeleito corre para trabalhar sobre dados que ajudem a mostrar os feitos do governo, de modo que Amazonino crave a imagem de um “estadista” em fim de carreira.

Cálculo  Somente ontem, porém, as duas equipes de transição passaram a se debruçar sobre os números do governo do Estado. No grupo de Wilson Lima (PSC), uma ordem é clara: checar tudo com lupa.

Sinal laranja  Do lado de fora do grupo de transição, um dado já chama a atenção da equipe do novo governo: a reclamação de fornecedores do Estado sobre a falta de pagamento e as queixas de terceirizadas da saúde, por exemplo, que alegam falta de recebimento de recursos, mesmo com serviços prestados.

Continência “Vim a Brasília para me apresentar como um soldado, que tem como missão a defesa das fronteiras e o fortalecimento institucional do Amazonas”. Do governador eleito Wilson Lima, em suas redes sociais, ao registrar encontro com o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito.

Segredinho  O novo secretário de Articulação Política da gestão Arthur Neto (PSDB), Luiz Alberto Carijó, passou  a manhã inteira, ontem, cochichando com vereadores no plenário da Câmara.

Felizardo   O coronel da PM Ubirajara Rosses, presidente estadual do PSL, foi convidado pelo Ministério da Segurança para integrar uma comitiva brasileira que embarca hoje para Israel a fim de participar de um treinamento de inteligência. Ele é o único amazonense que fará parte do grupo, que conta com membros do Bope e da PF.