Publicidade
Sim & Não

Resolução do PDT é ignorada por Amazonino

16/07/2018 às 21:44
Show amazonino 123

Em tom de resposta à resolução do PDT que o desconsidera  como pré-candidato à reeleição, o governador Amazonino Mendes disse, ontem, que sua empreitada eleitoral independe do partido. “A minha candidatura só existiria se for de vontade específica da população, não mais de ninguém, nem de mim”, cutucou. Ele assegurou que estava focado na gestão,  não na pré-campanha, mas disse: “Minhas colocações deixam certa dúvida, mas é provável e tudo caminha para eu ser candidato”.

Reação   A declaração de Amazonino foi dada antes da posse do novo procurador-geral do MPC, João Barroso, e ocorreu no mesmo dia em que o PDT divulgou diretrizes para a campanha eleitoral deste ano. O partido informou que, até aqui,  tem  apenas dois pré-candidatos, e não cita o governador.

Chefe   Sobre as definições do PDT - que inclusive vetam aliança com o PSDB - Amazonino comentou: “Eu sou o governador do Estado, sou do PDT, nunca fiz questão de ser presidente de partido, em toda a minha vida pública nunca quis ser cacique. Ninguém observa isso, mas é um fato”.

Credenciamento   Com a decisão tomada pela Executiva do PDT, assinada pelo presidente estadual do partido, deputado federal Hissa Abrahão, se quiser ser  candidato ao governo, Amazonino Mendes terá que  passar pelo crivo da legenda. Para tal, terá ainda que fazer uma defesa diante dos filiados.

Critérios   Um trecho da resolução do PDT afirma que a todos os filiados está aberta a possibilidade de se lançar pré-candidato, desde que se inscreva junto à Executiva Estadual 48h antes da convenção, “ocasião onde todos os pré-candidatos devem fazer a defesa da manutenção de seus nomes como candidatos perante a militância”

Alerta   Observadores atentos da cena política no Amazonas amanheceram a segunda-feira apontado fragilidades  na parceria firmada entre Amazonino e o prefeito Arthur Neto (PSDB) para a eleição deste ano.

Diz-que Coincidentemente,  Arthur - que há alguns dias abraçou Amazonino em cima de um palanque na homenagem a seus 40 anos de vida pública - demonstrou ontem que a parceria do governo com a Prefeitura é só um ensaio. Conforme o tucano, o governador “diz que vai” investir R$ 150 milhões na cidade.

Sozinho Para completar a incerteza, o prefeito de Manaus acrescentou: “De qualquer maneira, e com esforço próprio, estamos colocando R$ 320 milhões na recuperação da infraestrutura do município”. A fala foi dada na solenidade de posse do novo procurador-geral do MPC.

Chateado  O senador Omar Aziz (PSD) se mostrou irritado com a nota publicada pela coluna, na edição do último domingo (15), dando conta de sua frustração com a aliança de Arthur Neto com Amazonino Mendes.

Respeito A nota dizia que, reservadamente, Omar tratou como “punhalada” a união entre o tucano e o governador. “Em momento algum chamaria o Arthur de traidor”, disse. “Tenho grande respeito por ele. E só não estive no evento (em homenagem aos seus 40 anos de vida pública) porque minha mãe faleceu. Isso era de conhecimento público”.