Domingo, 09 de Maio de 2021
Luto

'Arquiteto da Amazônia', Severiano Mario Porto morre aos 90 anos

Arquiteto autor de obras icônicas como o estádio Vivaldo Lima, o Campus da Universidade Federal do Amazonas e a sede da Suframa, morreu vítima de Covid-19



show_1_EC7D6692-F19B-4B12-91C0-B741D1A085CF.jpg Foto: Arquivo AC
10/12/2020 às 16:34

O mineiro mais conhecido como o arquiteto da Amazônia, Severiano Mário Porto, faleceu aos 90 anos de idade nesta quinta-feira (10), por volta das 11 horas, no Rio de Janeiro, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. Ele era natural de Uberlândia, Minas Gerais. A Superitendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) lamentou a morte do arquiteto em um comunicado oficial nas redes sociais.

O sepultamento do arquiteto será amanhã, às 13 horas, no cemitério Parque da Colina, em Niterói (RJ). Devido à situação de pandemia, o velório será reservado apenas à família.



Severiano Mário Porto é mais conhecido como arquiteto da Amazônia, por ser autor de um modelo único de arquitetura amazônica e sustentável. Ele unia técnicas desenvolvidas por ribeirinhos e caboclos com as mais modernas e inovadoras criações da arquitetura.

ARQUITETO DA AMAZÔNIA

Ele foi responsável por projetos importantes para o Amazonas como, por exemplo, o Estádio Vivaldo Lima (1970); a sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (1971); o Campus da Universidade Federal do Amazonas (1973); a Pousada na Ilha de Silves, nos anos 1979 e 1983, além do Centro de Proteção Ambiental de Balbina (1983).

Nascido em Uberlândia, Minas Gerais, ele muda-se com a família para o Rio de Janeiro, aos cinco anos de idade, quando seu pai funda o Colégio Brasil América. Severiano Mário Porto forma-se na Faculdade Nacional de Arquitetura - FNA, da Universidade do Brasil, em 1954.

No ano de 1963, ele viaja a turismo para Manaus, onde é convidado pelo governador do Estado do Amazonas, Arthur Cezar Ferreira Reis (1908 - 1993) - pai de um colega do Colégio Brasil América -, a realizar a reforma do palácio do governo, 1965, e o projeto da Assembléia Legislativa do Estado, 1965.

No período em que permanece em Manaus para o desenvolvimento desses projetos, que não se concretizam, Severiano Porto recebe outras encomendas e então muda-se para a cidade, em 1966. Em Manaus, Severiano também exerceu a função de professor de arquitetura e urbanismo na Faculdade de Tecnologia da Universidade do Amazonas, de 1972 a 1998.

Depois de 36 anos vivendo em Manaus, o arquiteto retornou ao Rio de Janeiro, e transferiu o escritório para Niterói, onde morava desde então.

 

 

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.