Publicidade
Cotidiano
PRECAUÇÃO

Após confusão em delegacia de Caapiranga, presos são transferidos para Manacapuru

Medida foi tomada após a delegacia de Capiranga ter sido depredada ontem (22), deixando nove feridos e um morto 23/08/2018 às 13:56 - Atualizado em 23/08/2018 às 14:30
Show caapiranga 7a0acfec 68ef 487f 9e1c faf92c01bbd6
Foto: Arquivo A Crítica
acritica.com Manaus

Osiane Mendes Lopes e Reginaldo Pereira dos Santos Júnior, suspeitos de envolvimento no homicídio de Cosmo Dantas Mendes no município de Caapiranga, distante 134 quilômetros da capital amazonense, foram transferidos na tarde desta quinta-feira (23) para Manacapuru. Na noite de ontem (22), reforços das polícias Militar e Civil foram enviados ao município onde o crime aconteceu para conter ações de depredação da delegacia que resultaram em nove pessoas feridas e uma morta.

De acordo com a Polícia Civil, os dois presos, Osiane e Reginaldo, e a vítima do homicídio, Cosmo, tinham diversas passagens pela polícia por envolvimento com o tráfico de drogas, porte de arma de fogo e homicídio. Conforme informações preliminares, Osiane, vulgo “Pingo”, fazia parte do mesmo grupo criminoso de Cosmo. Até o momento, o corpo de Cosmo ainda não foi encontrado. Ele é dado como desaparecido desde segunda-feira (20). 

O delegado titular de Caapiranga, Sinval Souza, afirmou que a transferência dos presos ocorreu durante a madrugada. Além de Osiane e Reginaldo, outros três presos que estavam na delegacia do município foram transferidos para Manacapuru.

Ainda durante a noite de ontem, a situação foi controlada com a dispersão da população pelas tropas do reforço policial. A Força Tática de Manacapuru, além de policiais civis e PMs de Manaus foram enviados, seguindo determinação do secretário de segurança, Coronel Anézio Paiva.

Delegado e promotor feridos

Durante a confusão na delegacia ocorrida ontem (22), a unidade policial foi completamente depredada e que uma viatura da PM e outra da PC também foram danificadas. Segundo o delegado, a ação foi comandada por comparsas e familiares dos três infratores envolvidos no caso. O desaparecimento é um caso de repercussão na cidade e a notícia da transferência dos presos levou dezenas de curiosos para frente da delegacia.

Conforme o delegado, os infratores estavam armados com espingardas e atiraram contra a unidade policial quando o tumulto popular começou. O delegado Sinval Souza foi ferido por um tiro de raspão na cabeça e passa bem. O promotor de justiça da cidade, que acompanhava o caso na delegacia e negociava com familiares dos presos a remoção, levou uma pedrada na cabeça.

A pessoa que morreu no “quebra-quebra” foi Carlos Paulo Lima Pereira. Dos feridos, quatro homens receberam alta após atendimento na cidade, outros três homens e uma mulher foram transferidos para o Hospital de Manacapuru. Um homem, com ferimento grave no crânio, foi trazido para o Hospital João Lúcio, em Manaus. As informações foram confirmadas pela Susam.

Os pacientes atendidos e liberados são Osmar Macena de Matos, Ozenir Marques Loureiro, Wendeli Martins Pereira e Raimundo Damião da Silva. Os feridos levados para Manacapuru são Davi Matheus M. Encarnação, Renan Reis Martins, Maria Dulcinete Dias de Lima e Jeová Moraes de Lima. Jeilson Firmino de Castro foi encaminhado para HPS João Lúcio, em Manaus.

Publicidade
Publicidade