Publicidade
Manaus
CONCILIAÇÃO

Azione está definitivamente fora da Fucapi, que deve passar por auditoria externa

Em audiência, empresa renunciou a qualquer tentativa de reassumir controle da instituição, que pode entrar com pedido de recuperação judicial para manter atividades 19/07/2018 às 15:27
Show fuca
acritica.com Manaus

Uma audiência de conciliação na 10ª Vara Cível oficializou a desistência da empresa Azione Education de assumir os projetos educacionais da Fucapi. Na mesma audiência, a juíza Mônica Raposo determinou que a instituição passe por uma auditoria externa, que deve apresentar, em até 60 dias, a real situação da Fucapi .

A empresa Azione  assumiu a instituição em abril deste ano, prometendo investimentos de R$ 50 milhões, mas em meio a disputas judiciais e embates com o Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), que questionava a legalidade dos procedimentos, não conseguiu colocar o projeto em prática na sua totalidade.  

Na prática, a empresa já estava afastada da instituição desde a primeira semana de junho, quando membros da antiga direção da Fucapi impediram que os novos funcionários da Azione entrassem no prédio. Desde então, a instituição passou a ser tocada pelos seus antigos diretores, sem a influência da nova empresa, que, na Justiça, buscava acesso ao sistema  que estava impossibilidade de usar.

De acordo com a promotora Kátia Oliveira, da 47ª Promotoria de Justiça, e que acompanha a situação da Fucapi desde o início, a Azione abdicou de qualquer tentativa de reassumir a gestão educacional da instituição durante a audiência.  "A Azione ficou realmente afastada de qualquer ato ou interesse cm a Fucapi. Renunciou até a tentar qualquer outra manobra para retomar o controle, ficou apenas responsável pelo pagamento dos funcionários que ela contratou".

A reportagem procurou o empresário Aldous Santana, CEO da Azione, mas ele não quis dar detalhes sobre a situação. Ele apenas confirmou a desistência da Fucapi, mas afirmou que o projeto seguirá com outro formato.

Futuro

Segundo a promotora Kátia Oliveira, a auditoria a ser realizada vai ditar o futuro da Fucapi. "Assim saberemos, com dados mais precisos, a atual situação da Fucapi e como ela terá que proceder para continuar a exercer suas atividades", afirmou ela, afirmando que, com base na auditoria, a instituição pode entrar com pedido de recuperação judicial.

Para a  promotora, isto é um sinal de que a Fucapi deve manter suas atividades, mesmo diante de toda a dificuldade. As dívidas chegam a mais de R$ 100 milhões. "Em 60 dias (após a auditoria), saberemos como está o fluxo de caixa e veremos o que a Fucapi pode conseguir em termos de crescimento, de ampliar cursos. "Chegamos em uma posição em que, quase com certeza, a entidade será preservada e continuará a funcionar da maneira que funciona hoje no Estado".

O pedido de um interventor, feito pelo MP-AM, fica suspenso até que a auditoria externa seja realizada, conforme a promotora, que acredita inclusive no pagamento do passivo trabalhista que a instituição tem. "Acho que, com calma, talvez seja possível".

Publicidade
Publicidade