Publicidade
Manaus
CAMPANHA

Filho de amazonense, vice de Bolsonaro faz carreata em Manaus neste sábado (15)

Evento na Zona Leste é o último da agenda aberta do general Hamilton Mourão (PRTB) na capital 15/09/2018 às 02:31
Show whatsapp image 2018 09 14 at 19.31.16 b48de633 c38e 4035 a737 95c1b7eb87cf
Foto: Antônio Lima
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O vice da chapa de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência da República, general Hamilton Mourão (PRTB) participa na manhã deste sábado (15) de uma carreata na Zona Leste de Manaus. A atividade de campanha está prevista para começar às 9h, no Uai Shopping, bairro São José, e vai até o Shopping Sumaúma, no Cidade Nova.

Mourão começou sua agenda na capital amazonense nessa sexta-feira (13), onde palestrou em um evento organizado por amigos e apoiadores da candidatura de Bolsonaro. O general é filho de um amazonense, nasceu em Porto Alegre (RS), mas morou três anos em Manaus e dois em São Gabriel da Cachoeira, atuando no Exército.

Para jornalistas, o general afirmou que não usará colete balístico no evento deste sábado, apesar do atentado sofrido por Bolsonaro em Juiz de Fora (MG) no último dia 6.

“A gente tem que ter precaução. Caldo de galinha e prudência nunca faz mal ao ninguém. Na última vez, eu andei com colete. Amanhã, não vou andar assim”, afirmou Mourão. O general deve participar do ato na Zona Leste em um trio elétrico.

BR-319, Zona Franca e o Amazonas

Durante a palestra dessa sexta-feira, em um hotel na Zona Centro-Sul, Mourão citou a ligação de seu pai com Humaitá, um dos municípios pelos quais a BR-319 passa, ao afirmar que um possível Governo Bolsonaro teria coragem para resolver o impasse da estrada que poderia conectar o Amazonas com o resto do País pela ligação com Porto Velho (RO).  "Ela não passa em Humaitá? Humaitá não é a terra do meu pai?", brincou o general.

O vice de Bolsonaro também falou que o modelo da Zona Franca de Manaus necessita ser estudado, que o Amazonas precisa de políticas de incentivo e que aspectos como a biodiversidade local são pontos que o Governo Federal poderia contribuir com a região.

Publicidade
Publicidade