Publicidade
Manaus
ATAQUE

Grupo armado invade o Hospital 28 de Agosto e tenta matar a tiros rival de facção

Mais de 20 disparos foram efetuados. O alvo dos tiros foi um homem que estava internado no local após ter sobrevivido a um ataque. Ele sobreviveu 25/11/2018 às 20:17 - Atualizado em 26/11/2018 às 12:39
Show 483e92e5 e4e2 4914 805f aeba95308a60 d31b5d2f c5a5 4192 9f2b 398ac3065190
Foto: Jander Robson
Vinícius Leal e Cecília Siqueira Manaus (AM)

Um grupo armado invadiu o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul de Manaus, e tentou matar a tiros um paciente da unidade de saúde no início da noite deste domingo (25). O alvo dos disparos foi Adriano Barbosa Araújo, 24, o “Porocada”, que sobreviveu e seria membro de uma facção criminosa rival dos atiradores. Três suspeitos foram presos ainda dentro do hospital e um quarto estaria sendo procurado.

Segundo testemunhas, mais de 20 tiros foram disparados, mas nenhum atingiu “Porocada”. Tudo aconteceu no primeiro andar da unidade de saúde, localizada na avenida Umberto Calderaro, bairro Adrianópolis, por volta das 19h, bem no horário de troca de plantões de funcionários. “Eles aproveitaram o horário de troca de plantão, quando a segurança fica mais enfraquecida. Foram mais de 20 tiros. Os pacientes saíram correndo desesperados. Eu inclusive estou com as fichas deles”, relatou o técnico de enfermagem Alex dos Santos.

Após invadirem o hospital e atirarem em direção a “Porocada”, os três atiradores tentaram fugir e causaram um grande tumulto nos corredores da unidade de saúde. Funcionários e pacientes ficaram assustados e se jogaram no chão na tentativa de se proteger dos tiros. Pessoas que aguardavam atendimento deixaram o local às pressas. A Polícia Militar foi acionada e imediatamente iniciou as buscas, o que fez paralisar os atendimentos por um tempo.

Um dos vigilantes do hospital, que preferiu não revelar identidade, contou que dois dos suspeitos entraram na unidade de saúde fingindo serem pacientes. “Percebi a atitude estranha e logo acionei a polícia. Ouvi os disparos dentro do quarto do que estava internado e no corredor também. Estava na linha de frente, foi apavorante”, contou o segurança.

Os três homens presos são Everton Lima Martins, 23, Gabriel Marreira de Melo, 22, Renan Alves Maia, 22. Eles devem ser apresentados à imprensa nesta segunda-feira (26). Participaram da ação policiais da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), da Força Tática e do Comando de Policiamento da Área (CPA) da Zona Sul. Uma arma de fogo foi apreendida.

Sobreviveu duas vezes

“Porocada” estava internado desde o início da manhã no Hospital 28 de Agosto, após ter sobrevivido a outro ataque com tiros ocorrido no bairro Compensa, Zona Oeste. Na ocasião, ele havia sido alvejado duas vezes, no tórax e na coxa esquerda, e também sobreviveu. Os mesmos atiradores do primeiro atentado foram atrás para “terminar o serviço”. Agora, após sobreviver duas vezes, “Porocada” foi transferido para outro hospital, mas o nome da unidade de saúde não foi divulgado. 

Segundo a polícia, o atentado no Hospital 28 de Agosto foi motivado pela guerra de facções criminosas pelo domínio do tráfico de drogas em Manaus. “Porocada” seria soldado de Luciano da Silva Barbosa, filho do narcotraficante José Roberto Fernandes Barbosa, conhecido como “Zé Roberto da Compensa”, um dos líderes de uma facção criminosa Família do Norte (FDN) e que cumpre pena no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. “Porocada” também foi preso em abril deste ano suspeito de participar do latrocínio que vitimou um subtenente do Exército ocorrido em 2017 na Compensa.

Atendimento normalizado

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ressaltou que o atendimento já foi normalizado dentro do Hospital 28 de Agosto e que a segurança foi reforçada. Imagens do circuito interno de câmeras da unidade de saúde foram disponibilizadas à polícia para auxiliar as investigações.

Publicidade
Publicidade