Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
MEDIDA

Candidatos denunciam fraude nas eleições para Conselho Tutelar

Documento com fotos, vídeos e textos deve ser protocolado ainda hoje no Ministério Público do Amazonas. Reportagem aguarda posicionamento de órgãos



grupo_xxxxxxxxxxxxxxx_96F66C74-B6F0-4A3F-BD21-5CA7C882F9E1.JPG Fotos: Marcely Gomes
08/10/2019 às 14:40

Um grupo de candidatos nas eleições para o conselho tutelar de Manaus alegou nesta terça-feira (08) que os resultados foram fraudados após uma pane no sistema de apuração instalado pela Prefeitura de Manaus no último domingo (06). Além disso, há denúncias de favorecimento por parte do poder público municipal a alguns nomes que venceram o pleito. Ao todo, 45 titulares e 90 suplentes foram eleitos por voto popular no final de semana para o triênio 2020-2023 nos nove conselhos tutelares da cidade.

Um grupo de candidatos nas eleições para o conselho tutelar de Manaus alegou nesta terça-feira (08) que os resultados foram fraudados após uma pane no sistema de apuração instalado pela Prefeitura de Manaus no último domingo (06). Além disso, há denúncias de favorecimento por parte do poder público municipal a alguns nomes que venceram o pleito. Ao todo, 45 titulares e 90 suplentes foram eleitos por voto popular no final de semana para o triênio 2020-2023 nos nove conselhos tutelares da cidade.



Um documento com fotos, vídeos e textos deve ser protocolado ainda hoje no Ministério Público do Amazonas (MP-AM) – responsável pela fiscalização das eleições –, segundo um dos manifestantes. O candidato que disputou pelo conselho da Zona Centro-Oeste, João Furtado, e perdeu, informou que em torno de 1h30 da manhã de segunda houve uma falha nos aparelhos de apuração dos votos.

“Antes do pane, havia nomes com 1.400 votos e quando o sistema voltou estavam com 500. O próprio CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) disse que existiu a duplicação de votos. Eu tinha 600 votos antes da falha, e do nada fiquei com 417”, reclamou. Segundo a Prefeitura, às 2h foi anunciado o resultado final.

Falhas técnicas nas urnas também foram levantadas pelo grupo. Um homem disse que quando foi votar em si e não constava seu nome na lista dos candidatos para aquela determinada zona. “Estava com todos os documentos em dia, certidão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), e tudo mais. Estava apto, mas não achei meu nome disponível para o voto”, relatou.

Vídeos de pessoas confessando uma suposta compra de votos para candidatos serão mostrados ao MP pelos candidatos. Furtado também contou que eles encontraram uma lista de nomes de candidatos em alguns postos de combustíveis para o abastecimento gratuito de veículos. A ordem teria partido da Prefeitura de Manaus, conforme o grupo. A candidata ao pleito para a Zona Centro-Sul, Waldineia Cruz, argumentou que os Boletins de Urna (BU) também foram mal contabilizados.

“Segundo o resultado final da Prefeitura, eu tive 193 votos em 33 urnas apuradas. No fim da votação, pedi acesso aos BUs de duas escolas e contei que em 16 urnas havia 236 votos no meu nome”, falou. Uma média de 46 candidatos teve seus votos fraudados, de acordo com a denúncia do grupo. Um documento pedindo recursos à eleição foi protocolado nesta manhã ao CMDCA.

A CRÍTICA pediu posicionamentos da Prefeitura, MP e Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas sobre a questão. A assessoria do TRE-AM, por telefone, disse que “só emprestamos as urnas e fizemos um treinamento”, afastando a participação em fiscalização do pleito. A reportagem aguarda a posição dos demais órgãos. A candidata pela Zona Centro Sul, Ana Celia Oliveira, lamentou a situação. “A gente deu muito duro nessa eleição, foi muito trabalho. Não pode ficar assim”, pontuou.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.