Publicidade
Manaus
SEM DINHEIRO

Cetam: instrutores do 'Oportunidade e Renda' denunciam falta de pagamento

Profissionais deveriam ser pagos em julho e passaram o Natal sem receber. Cetam afirma que pagamento vai ocorrer nesta semana 25/12/2018 às 18:10 - Atualizado em 25/12/2018 às 18:14
Show cetam d0180fbe bdc9 4235 8757 a336e24b7ecb
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Um grupo de instrutores do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) passou o feriado de Natal sem receber um pagamento que, segundo eles, deveria ser feito no último mês de julho. Os profissionais de diversas áreas que procuraram a reportagem nesta terça-feira (25) atuaram no programa Oportunidade e Renda.

“O curso em que trabalhamos é por etapas, com carga horária de 160 horas, 140 ou 120, por exemplo. Uma etapa já tinha terminado, a segunda terminou no mês de novembro e nós estamos esses meses sem receber. A gente acompanha que o Governo do Estado está pagando outras áreas, como a saúde, e nós ficando para trás, ficamos com medo de pegar calote”, afirma uma dos instrutores que preferiu não se identificar.

No último dia 14, o Portal A Crítica noticiou que instrutores de informática do Cetam também estavam sem receber pagamentos que deveriam ter ocorrido em agosto.

“Você trabalhar seis meses e não receber, tirando dinheiro do nosso bolso para pagar passagem, combustível, material escolar, gera um desconforto. Muitos instrutores não trabalham de carteira assinada, não têm outro emprego”, disse outro profissional, que deveria receber em torno de R$ 4,5 mil.

A estimativa do grupo de instrutores é de que 700 profissionais estariam sem receber os pagamentos até a última semana. Segundo a assessoria de imprensa do Cetam, instrutores que trabalharam ao longo de 2018 no Centro e ainda não foram pagos devem receber nesta semana, conforme cronograma definido pela Secretaria do Estado da Fazenda (Sefaz).

Questionada sobre o caso dos instrutores de informática, ainda no dia 14, a assessoria do Cetam afirmou que mais de 95% dos contratos referentes a 2018 já tinham sido efetuados. Nesta terça-feira, onze dias após a primeira reportagem, 98% dos profissionais receberam.

“Informamos também que não procede a informação que os instrutores ficarão sem pagamento por parte do Governo do Estado. Ao longo de 2018, mais de 10 mil contratos com instrutores foram realizados e pela primeira vez, em 15 anos, os instrutores tiveram valor da hora-aula reajustado em mais de 25%, sendo compromisso do Governo do Estado, efetuar o pagamento de todos que prestaram serviço à educação profissional pública no Amazonas”, afirma a assessoria do Cetam em nota.

Publicidade
Publicidade