Publicidade
Manaus
ASSALTO

Mortos após assaltarem lotérica em Manaus possuíam longa ficha criminal

Eles respondiam a processos por roubos, porte de arma, receptação, corrupção de menores, entre outros. O único membro da quadrilha preso era foragido do sistema prisional 13/10/2018 às 19:14 - Atualizado em 14/10/2018 às 10:05
Show f5fc9bf0 2353 4cee 8d91 aab5324d269d fd798ed5 ff8c 4e14 b220 a0418d8f2bc5
Foto: Junio Matos
Vinicius Leal e Silane Souza Manaus (AM)

Os quatro homens mortos a tiros pela polícia após assaltarem uma casa lotérica e fazerem reféns de escudo humano, neste sábado (13), em Manaus, possuíam uma longa ficha criminal. Os mortos são Gustavo dos Santos Maciel Mesquita, 22, Jefre Mariano Santana, 24, Victor Souza de Castro, 21, e Hudson Figueiredo, 26. O quinto membro da quadrilha que foi preso é Valmir Lima de Pala, 28.

As informações foram divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) durante coletiva de imprensa. Segundo consulta ao site do Tribunal de Justiça do Amazonas, Gustavo respondia a processos por roubo majorado, adulteração de sinal de veículo automotor, corrupção de menores e receptação. Já Jefre Mariano respondia a processos por assalto, receptação e porte de arma e Hudson por receptação. O nome de Victor Souza não possuía registros no site do TJ-AM e Valmir era foragido do sistema semiaberto.

Além dos nomes, a polícia divulgou também os armamentos apreendidos com eles: duas espingardas calibre 12, uma pistola, um revólver calibre 38 e um colete balístico. A informação divulgada pela própria polícia de que eles estavam armados com fuzis foi desmentida. Também foi apreendida uma quantidade em dinheiro, cujo valor não foi revelado.

Entenda o caso

Tudo começou por volta das 13h30 de hoje. Cinco homens encapuzados e fortemente armados invadiram a casa lotérica Circular, na avenida Grande Circular, Zona Leste, e fizeram reféns funcionários e clientes do local. Parte das vítimas foi liberada e cerca de dez pessoas foi mantida refém até ser usada como escudo humano na hora da fuga. Os bandidos exigiam droga para consumo próprio e um veículo.

De acordo com a polícia, no momento da fuga os bandidos seguiram andando pelas ruas, protegidos pelo escudo humano, até entrarem numa rua sem saída e ficarem encurralados. Os policiais conseguiram atirar e balear os assaltantes. Todos foram imobilizados e presos. As vítimas foram salvas e, emocionadas, abraçaram familiares que estavam no local.

Publicidade
Publicidade