Publicidade
Manaus
APÓS SOLTURA

MPE pede prisão preventiva de empresário e tia de adolescente abusada em motel

Fabian Neves, 37, preso por estuprar a jovem, e a tia da adolescente, foram soltos ontem após audiência de custódia. Ministério Público argumenta que crime é hediondo e solicita que decisão seja reavaliada 09/08/2018 às 11:59 - Atualizado em 09/08/2018 às 12:30
Show mpe
Foto: Arquivo/AC
Oswaldo Neto Manaus (AM)

O Ministério Público do Estado (MPE) entrou com recurso para manter preso o empresário Fabian Neves dos Santos, de 37 anos, que foi encontrado em um motel na Zona Norte com uma adolescente de 13 anos. Apesar do flagrante, ele e a tia da jovem, uma mulher de 28 anos, foram soltos nessa quarta-feira (8) pela Justiça para serem monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério Público do Estado (MPE), o recurso foi interposto pela promotora Francilene Barroso da Silva logo após a Audiência de Custódia que determinou a soltura dos indiciados.

A promotora pede a prisão preventiva por meio de “cautelar inominada”, uma medida de urgência para que a decisão do juiz seja revista, visto que houve flagrante e o delito se caracteriza como crime hediondo. O recurso expõe a necessidade de manter Fabian e a tia da adolescente presos pela gravidade do crime.

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) informou que o recurso está em processo de distribuição e ainda não possui relator.

O caso

O empresário Fabian Neves dos Santos, proprietário da ForteVip, foi preso em flagrante na tarde dessa terça-feira (7) abusando da adolescente de 13 anos em um motel na avenida Elias Ramiro Bentes, bairro Terra Nova, Zona Norte de Manaus.

As investigações sobre o caso iniciaram na escola da adolescente. Segundo a Polícia Civil, a jovem apresentava um comportamento diferenciado, e professores desconfiaram que ela era agredida fisicamente pela família. A Polícia Civil informou que a mãe da jovem seria usuária de drogas, e há registro de abuso cometido pelo próprio pai biológico. Um tio era o responsável pela guarda dela, porém a tia agenciava a menina para a prostituição sob ameaças.

A tia da menina, que também foi presa, sempre acompanhava a vítima. “O empresário entrava no motel com a tia da menina ao lado dele e a adolescente ficava escondida dentro do carro para poder entrar no motel”, disse a delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Publicidade
Publicidade