Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Amazonas não pode recuar na defesa da Zona Franca, diz Wilson Lima

No discurso realizado na abertura da fesPIM, nesta quarta-feira (27), o governador do AM ressaltou a redução do uso de termelétricas a diesel para abastecer os principais centros populacionais do estado



WhatsApp_Image_2019-11-27_at_11.11.52_48A79ABA-A2E7-4797-A7B0-8AD0CA6AC0E8.jpeg Foto: Sandro Pereira
27/11/2019 às 12:59

O governador Wilson Lima (PSC) afirmou nesta quarta-feira (27) que o Amazonas não pode recuar na defesa do modelo da Zona Franca de Manaus (ZFM). A fala do governador ocorreu durante a abertura da Feira de Sustentabilidade da Zona Franca de Manaus (fesPIM), que acontece até sexta (29) e reúne as principais empresas que atuam no Polo Industrial de Manaus (PIM). “Todo mundo sabe que esse modelo é fundamental para manter preservado nossos ativos fundamentais. Não podemos retroagir. O que fazemos todos os dias é mostrar que uma indústria forte no Amazonas é um sistema forte do meio ambiente”, disse Wilson.

O governador do AM lembrou ainda que a economia do estado já foi liderada pelo ciclo da borracha durante séculos e que o momento agora é outro, o de preservar a floresta e produzir riquezas. “A borracha já foi a jóia da coroa e o estado do Amazonas viveu seu tempo áureo com a exploração dessa matéria prima.  A relação da preservação do modelo com a floresta é direta. Estamos em reunião com investidores que irão trabalhar no beneficiamento da floresta com a geração de mil empregos diretos”, afirmou.

“No Amazonas, temos o potencial muito grande de fomentar e explorar a malva e juta”, ressaltou. Durante a entrega de incentivos para produtores de Codajás, município distante  240 quilômetros de Manaus, Wilson Lima anunciou um reajuste no preço da subvenção da juta e malva. Essa é a primeira vez que o Governo do AM paga a subvenção aos produtores.O quilo dos produtos, que atualmente custa R$ 0,40, subirá para R$ 0,50 em 2020, R$ 0,55 em 2021, chegando a R$ 0,60 em 2022. Há pelo menos cinco anos os produtores não recebiam o benefício.

Investimento e exploração sustentável

“Estamos aumentando em 25% a subvenção. Estamos encaminhando para Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) um projeto para pagar uma subvenção ao pirarucu para que cada quilo produzido pelos manejadores tenham uma contrapartida do governo”, ressaltou

No discurso, o governador do AM ressaltou a redução do uso de termelétricas a diesel para abastecer os principais centros populacionais do estado. “Estamos abrindo o mercado para o gás natural com o início das atividades da Eneva. Com o funcionamento das termelétricas a gás estão sendo retirados de circulação por dia das ruas 200 caminhões que carregavam diesel”, concluiu.

Leia mais  >>> No AM, indígenas agradecem Bolsonaro por 'abrir as portas para o agronegócio' 
+++++++  >>> Na fesPIM, Alfredo Menezes elogia Bolsonaro e Arthur cobra asfalto na ZFM​



News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.